Telegram terá anúncios

Segundo o Ceo, Durov: Todos os recursos existentes permanecerão gratuitos, e os anúncios irão aparecer em canais públicos.

O aplicativo de mensagens instantâneas Telegram, rival do Whatsapp anunciou que está se aproximando de 500 milhões de usuários e que está planejando a partir deste ano gerar receita com o aplicativo.

Durov disse que financiou pessoalmente o negócio de sete anos até agora, mas à medida que o início aumenta, ele está procurando maneiras de monetizar o serviço de mensagens instantâneas. “Um projeto do nosso tamanho precisa de pelo menos algumas centenas de milhões de dólares por ano para continuar”, disse ele.

O serviço, que ultrapassou 400 milhões de usuários ativos em abril de 2020 , apresentará sua própria plataforma de anúncios para canais públicos um-para-muitos – “uma que seja amigável, respeite a privacidade e nos permita cobrir os custos de servidor e tráfego ”, Escreveu ele em seu canal no Telegram.

“Se monetizarmos grandes canais públicos um para muitos por meio da Plataforma de Anúncios, os proprietários desses canais receberão tráfego gratuito em proporção ao seu tamanho”, escreveu ele. Outra maneira pela qual o Telegram pode monetizar seu serviço é por meio de adesivos premium com “recursos expressivos adicionais”, escreveu ele. “Os artistas que fizerem adesivos desse novo tipo também terão parte do lucro. Queremos que milhões de criadores do Telegram e pequenas empresas prosperem, enriquecendo a experiência de todos os nossos usuários. ”

Todos os recursos existentes permanecerão gratuitos, disse Durov, que é um dos maiores críticos do Facebook e WhatsApp, adicionando que o Telegram se compromete a não introduzir anúncios em chats privados ou em grupo porque são uma “má ideia”.

“Não vamos vender a empresa como os fundadores do WhatsApp. O mundo precisa do Telegram para se manter independente como um lugar onde os usuários são respeitados e um serviço de alta qualidade é garantido ”, escreveu ele. “O Telegram começará a gerar receita a partir do ano que vem. Faremos isso de acordo com os nossos valores e os compromissos que assumimos nos últimos 7 anos. Graças à nossa escala atual, poderemos fazer isso de uma forma não intrusiva. A maioria dos usuários dificilmente notará qualquer mudança. ”

Fonte/Crédito: TechCrunch

Sair da versão mobile